Informações importantes sobre o cachorro Bull Terrier

Informações importantes sobre o cachorro Bull Terrier Animais de Estimação Cães Raças de Cães

Origem e História do lindo cão Bull Terrier

O Bull Terrier contemporâneo se difere muito do Bull Terrier do século XIX no que concerne a sua criação. O Bull Terrier tem procedência em cachorros padrão Bull e Terrier, produzidos como cães de caça e luta, esportes abolidos na Grã-Bretanha naquele tempo. A sua procedência é capaz de ser relacionada a um cara denominado James Hinks, de Birmingham (Inglaterra), que, logo depois de vários anos de ensaios, apresentou a raça no início da década de 50.
Com o propósito de se encontrar um exímio cachorro para brigas, considerou-se naquele período cruzar com o Dálmata, logo produziu-se o Bull Terrier que conhecemos. As disputas entre animais (seja entre cachorros ou entre cachorros e touros, entre outros espécimes) eram muito populares na antiga terra inglesa – chegando a ser efetuadas irregularmente no país por vários anos, mesmo depois da sua interdição.
É imprescindível entender o surgimento do Bull Terrier que conhecemos atualmente, porque, além dele ser uma mestiçagem de três tipos (Dálmatas, Bulldogs e English White Terriers), na verdade ele é proveniente dos molossos. Esses eram bastante utilizados para brigar contra animais com um porte físico bastante maior que o seu.
O grande intuito era se gerar um verdadeiro cachorro para brigas, mas, com as inúmeras mesclas que foram efetuadas ao longo dos tempos, deu-se início ao que enxergamos atualmente do Bull Terrier.

Particulariedades da raça Bull Terrier

O Bull Terrier é uma espécie dócil, extremamente tolerante defronte a firmeza. É um cachorro de musculatura sólida, astuto e bem-proporcionado. Sua cabeça é longa, robusta e grande até o final do focinho, a superfície não possui cavidades ou contornos e sua mandíbula é grande e forte. Conta com um olhar penetrante, possuindo-os incrivelmente pequenos e uma cor parda. As suas orelhas são eretas, um tanto curtas e próximas entre si.
O dorso do Bull Terrier é bem arredondado, com nítido dobramento das costelas e grande altura da cernelha para o esterno, de tal maneira que este fique mais próximo do solo. A cauda da raça não costuma ser estreita, de inserção nunca muito erguida.
Sua pelagem é muito estreita, grossa e firme no momento em que tocada. Em referência à cor, existe o famoso Bull Terrier Branco que pode ser totalmente esbranquiçado ou pode chegar a ter ínfimas marcações coloridas. E existe o Bull Terrier pigmentado, que ainda que porte poucas partes claras, é preponderantemente pintado.

Como cuidar de um Bull Terrier

Você precisa distraí-lo com atividades físicas que incentivem sua sagacidade. Deixe o espécime em um local seguro, ainda que ele adora movimentar-se muito. O mais indicado é que você tenha um quintal em que possa deixá-lo, entretanto jamais o deixe em áreas totalmente sem proteção.
Atividades físicas e intelectuais são fundamentais com o intuito de ter autodomínio e consonância entre o cachorro e as pessoas à sua volta, mesmo que as muitas transformações acontecidas com a espécie desde o seu começo tenham tornado o Bull Terrier mais brando, afetivo e manso. Se ele não gastar toda a potência que tem concentrada, ele pode se tornar muito mais ameaçador e estressado, e isso se deve a maneira como foi concebido, sendo tratado como um animal de combates.
Se você mora em edifícios ou ambientes bastante pequenos, nem pondere ter um Bull Terrier, eles carecem de grandes espaços. Para esta raça que carece de gastar bastante energia, um local maior é o ideal, embora existam indivíduos que possuam este animal mesmo vivendo em pequenas residências. Se esse for o seu empecilho, saiba que você tem que fazer com que ele realize muitas atividades a fim de evitar complicações posteriores.
Não há enormes esforços com relação ao pelo desta raça.

Benefícios de ter um Bull Terrier

Essa raça não é apropriada para todos os indivíduos, porém as que o dispuserem vão observar muitas coisas agradáveis. Seu gênio é característico. Esse cão vai segui-lo até os últimos momentos de sua existência, sendo bastante fiel a você e seus familiares. O Bull Terrrier nos entretém à medida que sonda tudo ao redor com o ânimo de uma criança e a aplicação persistente de um detetive.
Quando apresentam ao Bull Terrier um objeto que seja (podendo ser um bichinho de mentira, uma bola de tênis, o que for), ele vai vistoriar, atender seus desejos, brincará com ele e, então, irá começar a comer e arrasar o brinquedo. Sem objetos para entreter-se, o Bull Terrier é, sem dúvida, criativo o bastante para permanecer atarefado. Essa raça, bem como as demais, ama estar fazendo alguma coisa a todo momento, sobretudo divertir-se.

Problemas habituais do Bull Terrier

Mesmo que seja, no geral, uma espécie demasiadamente sadia, adversidades vinculadas a hérnias e à pele podem ocorrer nos cachorros da raça, que ainda tendem a ser prejudicados por problemas de acne e até acrodermatite, uma crítica doença que atinge os cachorros inclusive bebês e causa desde pelos enfraquecidos até a dessecação dos coxins e feridas nas mais diferentes áreas do corpo do cachorro.
Eles são suscetíveis de tornarem-se surdos, em um ou nos dois ouvidos. Julgava-se que este problema era devido a coloração branca do cão, por isso terem sido originados espécimes mais coloridos.
O Bull Terrier é para quem admira cachorros que podem aprender sozinhos, entretanto não para quem procura possuir um companheiro superobediente. Essa é uma raça de personalidade irrefutável, que dá a impressão de contrariar as ordens que ganha e, por causa disso, não recomenda-se que adquira um dono de primeira viagem, embora sim, um que tenha domínio em relação ao cachorro.
O adestramento do Bull Terrier é mais prolongado do que o das demais espécies pois este cão tende a negar-se ao adestramento. Com pessoas estranhas, ele não tem o hábito de ser hostil, mas também não é brincalhão, a menos que seja sociabilizado desde filhotinho.

Crias de Bull Terrier

Exatamente como os cães idosos, os filhotes inclusive são uma fonte de vitalidade e carecem de distrações e de monitoramento pois, como parecem estar a todo momento procurando alguma coisa para fazer, caso sejam deixados desassistidos por longos momentos, podem ser bastante destrutivos. Não são cachorros que se possa deixar desassistidos em um apartamento ou abandonados em um quintal do lar.
Se o dono residir em pequenas residências, tenha bastante tempo para dedicar-se às atividades esportivas do cachorro, o Bull Terrier pode ser uma ótima opção, porque, além de seu corpo pequeno, é um cachorro que ladra quase nada e cujo pelo pequeno requer pouca manutenção.
O nível de hostilidade e de amor de um cão está amplamente ligado com o modo de educação e atenção que ele obtem por parte de seus familiares e, portanto, o Bull Terrier que adquirir bastante afeto e fixar comandos de treinamento e obediência precocemente dificilmente será um cão estressado.
Os Bull Terrier são muito resistentes, fazendo que, quando estão nervosos, possam produzir sérios problemas para quem está na sua frente. Por causa disso o carinho é extremamente essencial. Esse cachorro não é violento, entretanto, se estimulado para tal atitude, pode ser equiparado a um Pitbull nervoso.

Curiosidades acerca do Bull Terrier

Seu cão achará algo para fazer e, se você estiver no local, o trabalho dele vai ser te fazer rir. Um tanto exibicionista, não se assuste se avistar seu Bull Terrier disparando de um lado para o outro pelos quatro cantos da casa, saltitando e agredindo objetos sem vida unicamente para chamar sua atenção e demonstrar como é vigoroso. Caso você participe das diversões, não vai se desencantar.
Se essas aptidões atléticas não atrairem sua atenção, é apropriado que feche os ouvidos. Ele irá empregar um jeito de atrair a sua atenção. Eles irão fazer o possível para conquistar o mínimo aceitável de carinho. Creia ou não: seu Bull vai tentar “falar” com você. Logo que alcançar algum tipo de comportamento, empregará seu aparente irrestrito vocabulário de forma constante.
Esse traço é capaz de parecer exótico ou inclusive como uma enfermidade para muitas pessoas, entretanto os proprietários se distraem. Os Bull Terriers amam encontrar qualquer tipo de arbusto ou uma pequena porção de relva com o intuito de se ajeitar, ao avistarem-nas eles não vacilarão em se recostar por baixo delas.
Ao se aproximar, você irá notar que ele irá estar com um olhar distante, ele ficará muito tranquilo e vai se “desligar” desse mundo. Após um certo tempo, ele se erguerá, vai ajeitar seus pelos e continuará o seu passeio. E não é somente com arbustos ou relvas originais, com árvores de natal inclusive já foi percebido esse tipo de comportamento, que também é demasiadamente incompreensível.